Pera passa Pera passa

Pera Passa

Uma reminiscência do que a agricultura portuguesa tem de melhor

A Pera Passa é o fruto secado da pereira de São Bartolomeu (Pyrus communis L.), uma variedade de pera de calibre pequeno. As árvores são de grande porte e produzem grande quantidade de peras, daí os nossos antepassados terem sentido a necessidade da sua secagem.

É também popularmente conhecida por “presuntinhos”, devido ao seu aspeto e cor alaranjada depois de secadas. Outra designação comum é de “Passa de Viseu” por durante muitas décadas a feira de S. Mateus dessa cidade ter sido o mais importante local de venda desta iguaria tradicional.

A pera passa é um fruto doce, nutritivo e saboroso, produzido sobretudo nos concelhos de Oliveira do Hospital, Seia, Tábua, Nelas, Gouveia, Mangualde, Santa Comba Dão e Viseu.

Colheita e secagem de pera-passa

Todo o processo é ainda atualmente feito quase totalmente segundo os métodos ancestrais de forma bastante artesanal, cujas origens se perdem no tempo. No entanto, já começam a haver algumas tentativas de modernizar e usar tecnologia para facilitar algumas partes do processo.

A secagem e conservação das peras, tal como acontecia com outros frutos, antigamente permitia ter alimentos disponíveis em alturas de maior escassez e preservar durante os meses de inverno grande parte da fruta colhida. Era uma forma de valorizar a fruta e permitir o seus consumo fora da época normal de produção.

Riqueza nutricional

A nível nutricional, as peras passa são sobretudo ricas em hidratos de carbono, cerca de 42g por 100g de fruto. Apresentam aproximadamente 190 Kcal, 1.75g de proteínas, 7.7 g de fibras e 1.5g de lípidos. No passado, eram por isso um excelente petisco sobretudo dos pastores e camponeses. E hoje em dia podem, por exemplo, abrilhantar qualquer mesa festiva, servir de gulodice saudável para as crianças ou levar-se para o lanche no local de trabalho.

Produção no passado e no presente

Há várias décadas atrás, a pera passa era uma das maiores riquezas da região da Beira Interior, sobretudo do concelho de Oliveira do Hospital (conhecido como “solar da pera passa”), onde se produziam várias toneladas por ano. Consta que na década de trinta do século passado só no concelho de Oliveira do Hospital se produziam 90 toneladas de Pera Passa. Atualmente no mesmo concelho a produção não deve ultrapassar as 6 toneladas.

Este produto endógeno esteve quase desaparecido, e só nos últimos anos se tem explorado novamente o seu potencial, sendo atualmente considerado um produto gourmet. A Pera Passa é, sem dúvida, um fruto seco a descobrir e... a saborear!



Inserido em: 2014.11.27 Última actualização: 2014.12.22

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Outros alimentos
Autores > Redatores > Cristina Rodrigues