Fruta desidratada Fruta desidratada

Desidratação, um dos métodos mais antigos de conservar alimentos

A primavera, verão e outono são estações de colheitas, fruta abundante e variada, muitas vezes mais do que pode ser consumido. Isso justifica o seu armazenamento para o inverno e épocas de maior escassez. A desidratação é a forma mais natural e mais simples de conservar frutos, legumes, cogumelos e ervas aromáticas. O valor nutritivo dos produtos desidratados é preservado e estes mantêm-se não apenas deliciosos, mas também muito saudáveis e saborosos.

 

Vantagens da desidratação de alimentos

As reservas de produtos secos são uma alternativa vantajosa ao enlatamento e à congelação, que utilizam muito mais energia e aditivos. Os produtos frescos, através da desidratação, podem ser tratados facilmente durante a época da colheita e mantidos durante semanas, meses ou anos, sem cuidados especiais.

A desidratação ajuda a evitar o desperdício de alimentos quando há excedentes. Permite usufruir de alimentos naturais fora da época de colheita. Por exemplo, pode deliciar-se com morangos desidratados no inverno ou com cogumelos secos na primavera.

Os alimentos desidratados podem ser armazenados durante muitos meses à temperatura ambiente e não dependem de eletricidade ou outras formas de energia para manter a sua qualidade.

Ao contrário dos alimentos enlatados ou congelados, os produtos secos ocupam pouco espaço e são processados de forma natural, resultando em alimentos nutricionalmente superiores e mais naturais.

 

Armazenamento e consumo

Para uma boa e prolongada conservação dos alimentos desidratados, deve verificar-se o nível de secagem dos alimentos antes de os guardar. Os alimentos devem já ter arrefecido completamente, pois a condensação nas embalagens pode causa bolor. As embalagens devem estar secas; frascos de vidro com tampas metálicas de enroscar são os recipientes ideais. Devem conservar-se em local fresco e seco, e tão escuro quanto possível. A temperatura ideal é de 5 a 20ºC.

Além de poder consumir os alimentos simplesmente desidratados como um delicioso snack fácil de transportar para o emprego ou escola, pode também adicioná-los a sopas, molhos, papas para bebés, cereais de pequeno-almoço, batidos, ente outras preparações culinárias. Se preferir pode hidratá-los antes de usar, colocando os alimentos de molho alguns minutos.


Desidratar ao sol ou em desidratador elétrico

Desidratador elétricoA forma mais natural de desidratar alimentos é ao sol. Mas como nem sempre isso é possível, a alternativa é o desidratador elétrico, que permite secar alimentos em casa em qualquer altura do ano. Usando uma temperatura controlada, o ar é distribuído para cada um dos tabuleiros do equipamento e retira o excesso de humidade dos alimentos A regulação da temperatura (entre 35ºC a 70ºC) permite um tratamento delicado dos alimentos e a circulação ativa do ar quente assegura uma desidratação regular. Desta forma, as preciosas substâncias nutritivas são totalmente conservadas, apenas o excesso de água é removido.

Dependendo da humidade do alimento em si e da humidade atmosférica, o tempo de secagem pode ser diferente. O tempo de desidratar varia ainda em função da temperatura usada, do tamanho dos pedaços de alimentos e da sua textura, mas normalmente 8-14h são suficientes para secar alimentos como maçã lascada ou morango.

As frutas e legumes secos no desidratador podem ter uma aparência diferente daqueles vendidos em lojas e supermercados. Isto deve-se ao facto de não se usarem conservantes nem corantes artificiais. Para preservar mais facilmente a cor, por exemplo na maçã, pode colocar umas gotas de limão, que previnem a oxidação natural.

Além da fruta e legumes, com um desidratador pode secar cogumelos, ervas aromáticas (para temperos ou infusões), flores (para potpourri), pão (croutons) e até massas para pizas ou biscoitos.

 



Inserido em: 2013.06.12 Última actualização: 2013.06.12

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Autores > Redatores > Cristina Rodrigues
Outros alimentos