Rosto de rapariga Rosto de rapariga

Cosmética natural

Alimentar a pele de forma saudável

Consta nos anais da história que Cleópatra hidratava a pele com leite, argila e plantas. Mas protegermo-nos e embelezarmo-nos é uma coisa tão natural que provavelmente até antes do antigo Egito os nossos ancestrais usariam os seus cosméticos.

A pele tem por principais funções a proteção dos tecidos subjacentes, a regulação da temperatura do corpo e a reserva de nutrientes, além de alojar terminações nervosas sensitivas. É o revestimento externo do corpo, considerado o seu maior órgão. Como tal, ainda mais do que há milhares de anos atrás, hoje em dia é de extrema importância a sua proteção e tratamento com produtos saudáveis.

A pele e o couro cabeludo absorvem qualquer produto que se aplica sobre eles. Mas, apesar disto, a maioria das pessoas preocupa-se essencialmente com o que o corpo absorve através da alimentação e não através da pele ou do couro cabeludo, o que também tem consequências para a sua saúde.
Atualmente, são cada vez mais os fatores que atacam a nossa pele: alimentação desequilibrada; poluição; alguns medicamentos; certas doenças, sobretudo hormonais; exposição exagerada ao sol ou ao frio; stresse; tabaco; entre outros. Daí que selecionar os produtos certos para alimentar e tratar a pele e couro cabeludo é uma opção de extrema importância. E a cosmética natural é hoje, tal como na época de Cleópatra, a melhor escolha.

Características da cosmética natural

A cosmética natural deve caracterizar-se por princípios ativos vegetais, conservantes e emulsionantes naturais, fórmulas biodegradáveis, ser hipoalergénica e não ser testada em animais. Apesar desta definição, o rótulo de “natural” é usado numa vasta gama de produtos, que de natural por vezes apenas têm o extrato de uma ou duas plantas.
A cosmética natural assenta sobre três princípios: saúde, ética e ecologia. Produtos de higiene e cosmética verdadeiramente naturais não são agressivos para o organismo, não exploram animais e são pouco poluentes.
A cosmética natural baseia-se muitas vezes em conhecimentos de fitoterapia e recupera a sabedoria popular que usava desde há milénios plantas para tratamentos de beleza, ao mesmo tempo que os une ao moderno conhecimento científico. Alguns dos extratos de plantas mais populares na cosmética natural são de aloé-vera, ginkgo biloba, algas, alecrim, alfazema, árvore do chá e cânhamo. Muitas destas plantas são potentes antioxidantes, eliminando os radicais livres e reduzindo os danos celulares. Estimulam a regeneração da pele e do cabelo e ajudam a normalizar as glândulas sebáceas, de uma forma natural e sem efeitos secundários.
Algumas marcas de cosmética natural dão ainda preferência a ingredientes de origem biológica e recolhidos de forma sustentável.
Muitas gamas de cosmética natural têm ainda o princípio ecológico de reduzir ao máximo os componentes das embalagens (sem caixas dispensáveis ou embalagens maiores do que o conteúdo, por exemplo), assim como utilizar ingredientes e embalagens biodegradáveis.
Cosméticos naturais são isentos de químicos muito usados na indústria tradicional, como LSS (Lauril Sulfato de Sódio), SLES (Lauril Éter Sulfato de Sódio), parabenos e derivados de petróleo; ingredientes potencialmente perigosos para a saúde humana ou o ambiente. Também não usam corantes e conservantes artificiais e têm um PH equilibrado.
Muitas alergias comuns devem-se a uma reação imunitária da pele a um ou mais químicos contidos nos produtos de higiene e cosmética. Aqueles que sofrem de dermatites, urticária, eczemas e caspa são os que mais beneficiam com a cosmética natural. Igualmente pessoas com peles sensíveis, nomeadamente as crianças, muito têm a ganhar com o uso desta cosmética alternativa.

Como analisar os rótulos

Aprender a ler os rótulos é uma das melhores formas de saber o que está a usar. Se os nomes dos ingredientes lhe parecem demasiado complicados, muito provavelmente não está diante de um produto natural.
Procure também nos rótulos por símbolos que atestem que o produto não é testado em animais (símbolo da BUAV com um coelho, por exemplo) ou que é vegano (girassol da Vegan Society, por exemplo). Cosmética natural biológica geralmente também é certificada. Mas mesmo que o produto não tenha nenhuma destas certificações (em alguns países não existem entidades certificadoras e estas aprovações têm custos elevados para pequenas empresas), se for realmente natural muito provavelmente no rótulo encontra expressões como “Produto não testado em animais”, “Isento de SLS”, “Isento de parabenos” ou “Produto vegano”.

Atualmente, existem no mercado muitas alternativas de qualidade, não é difícil encontrar produtos de qualidade a preços acessíveis. Seja exigente, o planeta e o seu corpo irão agradecer-lhe!



Inserido em: 2013.08.16 Última actualização: 2013.10.03

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Cuidados da pele
Autores > Redatores > Cristina Rodrigues