Kefir Kefir

Kefir, probiótico natural

A origem do kefir perde-se no tempo.  Sabe-se que é proveniente do Cáucaso, onde é consumido há séculos. A palavra kefir deriva do turco keif, que significa “bom sentimento” ou “sentir-se bem”.

Os grãos de kefir eram um tesouro valioso e bem protegido pelos povos das montanhas do Cáucaso. Por isso, apenas no início do século XX o kefir começou a ser conhecido no resto do Mundo.

O Kefir é uma bebida feita a partir da fermentação de leite de soja ou de vaca (ou também cabra ou ovelha). Desenvolve-se bem a temperaturas entre 10°C e 25°C. Uma colónia de lactobacilos e leveduras, conhecida como grão de kefir (grãos brancos ou amarelados, de consistência gelatinosa), alimenta-se do leite. Devido ao seu aspeto é também popularmente conhecido por planta do iogurte, cogumelo do iogurte ou flor do iogurte.

Os grãos de kefir eram tradicionalmente passados de pessoa para pessoa, uma vez que crescem com a fermentação. Mas a manutenção dos grãos durante anos exige que se prepare kefir quase diariamente ou que se tenham alguns cuidados especiais de conservação, quando se vai de férias ou quer parar o seu consumo durante algum tempo. O kefir pode ser congelado durante algum tempo, mas tem de ser revitalizado passadas poucas semanas. Por tudo isso, os fermentos de kefir desidratados começaram a surgir no mercado, oferecendo as vantagens do produto tradicional com as comodidades necessárias ao consumidor moderno. Acabam por ser uma opção interessante para o consumidor ocupado do século XXI.

Propriedades terapêuticas

Os fermentos de kefir contêm bactérias benéficas ao organismo humano.  Por isso é considerado um alimento probiótico, a par por exemplo do iogurte (embora os dois produtos contenham bactérias benéficas diferentes, e as do kefir consigam colonizar também o trato intestinal). Segundo a  Organização Mundial de Saúde, probióticos são organismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício à saúde do hospedeiro.

O valor do kefir está na qualidade e quantidade de aminoácidos e no efeito regenerador da flora intestinal e estimulador das defesas naturais. Contém bactérias saudáveis úteis à digestão e que inibem o desenvolvimento de outros microrganismos patogénicos no intestino, prevenindo, assim, infeções (especialmente intestinais).

Uma análise realizada a vários estudos científicos sobre o kefir, feita por autores da Allama Iqbal Open University, no Paquistão, conclui que o consumo regular de kefir tem benefícios sobre a atividade antimicrobiana, a saúde intestinal, a atividade anti-carcinogénica, o controlo da glucose e do colesterol e o reforço do sistema imunitário [1].
 
 Como preparar kefir

 

kefir culture midzu1.                  Ferva 1 litro de leite ou use leite acabado de fazer na máquina de leite de soja, ou um pacote acabado de abrir, e deixe arrefecer até à temperatura ambiente.

2.                  Esterilize uma taça de vidro e uma colher. Passe-os por água a ferver, destruindo dessa forma as bactérias que poderiam interferir na reprodução dos lactobacilos.

3.                  Coloque o leite numa taça de vidro. Com uma colher misture bem o conteúdo de um pacote fermento de kefir (ou grãos de kefir).

4.                  Tape o recipiente com uma tampa ou um pano. Não deve vedar totalmente o recipiente, de forma a permitir libertar os gases que se formam durante o processo.

5.                  Deixe à temperatura ambiente cerca de 24 horas a incubar.

6.                  Conserve no frigorífico até 12 dias. Kefir preparado com fermento de kefir tem um baixo grau de acidificação a baixas temperaturas (se usar os grãos normalmente a bebida torna-se um pouco mais ácida ao fim de alguns dias).

7.                  Para preparar novamente kefir, basta usar 4 colheres de sopa do kefir preparado (com não mais do que 3 dias) com 1 litro de leite. Pode repetir o processo até 10 vezes, antes de usar um novo pacote de fermento para kefir. Se usar os grãos deve coá-los, para os separar do líquido, e adicioná-los a mais leite. O processo é repetido assim sucessivamente. Não lave os grãos, para não prejudicar o equilíbrio das colónias de bactérias.

Como consumir

O kefir pode ser consumido por todas as pessoas (à exceção de intolerantes à lactose ou à soja, caso se use, respetivamente, leite animal ou de soja para preparar o kefir), sendo também um alimento útil a atletas e crianças.

A bebida preparada com os grãos de kefir ou fermento para kefir possui uma consistência cremosa, espessa e uniforme, e tem um leve sabor ácido, à semelhança do iogurte.

O kefir pode ser bebido simples, usado para preparar batidos ou consumido como o iogurte, por exemplo misturado com mueslis, com bagas goji, com sementes de chia ou com fruta fresca.

Pode ainda preparar uma pasta (tipo queijo creme) para barrar no pão. Basta misturar uma pitada de sal e ervas aromáticas (por exemplo, orégãos), e colocar o conteúdo a escorrer o soro algumas horas, por exemplo usando um kit para tofu forrado com um pano fino.

Para usufruir das propriedades terapêuticas do kefir, utilize-o apenas em receitas frias, pois as altas temperaturas destroem os lactobacilos.

Referências:

[1] http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23391011

 

 



Inserido em: 2013.03.10 Última actualização: 2013.05.31

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Outros alimentos
Autores > Redatores > Cristina Rodrigues